Presidente do Brasília é agredido no Bezerrão durante jogo contra os donos da casa

Se dentro de campo o Gama apresenta bons resultados no Campeonato Brasiliense, fora das quatro linhas, a equipe alviverde tem dado mau exemplo quando os jogos são no Estádio Bezerrão. No último domingo (21/2), mesmo vencendo o Brasília por 1 x 0, torcedores e dirigentes do Periquito invadiram a área de acesso ao vestiário do time adversário, fizeram ameaças a jogadores e ao presidente do clube colorado, Luís Felipe Belmonte, que feriu a boca ao ser retirado do local.

O episódio no Bezerrão é narrado pelo próprio Belmonte. Ele relatou que a partida, iniciada às 16h do domingo, já tinha acabado quando um grupo de torcedores e um dirigente do Gama invadiram o espaço reservado aos jogadores. Segundo Belmonte, eles começaram a ofendê-lo com palavrões e ameaças de agressão física.

Foi preciso que os assessores retirassem o presente do clube visitante para evitar que o caso ganhasse proporções ainda maiores. “Machuquei a boca, mas não sei se foi pelos torcedores ou no momento em que o pessoal que estava comigo me puxou”, afirma Belmonte. “Ainda fico sabendo que isso aí já aconteceu outras vezes. Hoje é comigo. Depois vai ser com quem? Eu mereço o mínimo de respeito”, cobrou. Ele precisou de escolta policial para deixar o Bezerrão.

Luís Felipe Belmonte (foto) promete entrar com uma representação na Federação de Futebol do Distirto Federal (FFDF) relatando as agressões sofridas após a partida. “Não estou reclamando nada do que ocorreu nas quatro linhas. O jogo foi limpo”, disse.

A FFDF diz que ainda não recebeu reclamação da partida no Bezerrão. A entidade informou ao Metrópoles que só vai se manifestar quando for acionada.

A reportagem procurou a assessoria da Sociedade Esportiva do Gama para falar sobre o assunto, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.